Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

MEDITAÇÃO: Apelo ao despertar da Alma Portuguesa.

 

"Unir Portugal à Alma Portuguesa é unir cada Português à Luz da sua Alma."

.

.

Unir Portugal à Alma portuguesa
 
A Alma é a forma própria de Sentir
e receber o Mundo.
 
Unir Portugal à Alma portuguesa
é unir cada Português à Luz da sua Alma.
 
A Alma portuguesa provou ser uma Alma mística,
poética, visionária,
sempre inspirada por um Mito de expansão Universal.
 
Mito já foi assim definido: “uma projecção ideal, totalizante, indispensável,
 como motor gerador de transformação”.
 
O Mito leva os Homens a transcender
as limitações dos seus Egos solitários.
 
A História de Portugal, sempre se processou              
pelo nascimento, expansão e morte de um Mito,
pela sucessiva recriação de um Mito novo.
 
 
No século XX o Mito Português perdeu a força,
a sua dimensão Ideal,
fragmentou-se em Mitos “menores”:
 
o mito da razão, o mito da Ciência materialista,
o mito da tecnologia, o mito do comunismo,
o mito do Imperialismo americano,
o mito do futebol…
 
O séc.XX foi um Tempo de Criatividade separatista
na procura da Liberdade.
Gerou um grande desenvolvimento mental e tecnológico, paralelamente a um imenso vazio                         
                            Anímico e Espiritual.
 
Todo o Mito émenor” quando não cria Unidade.
Qualquer Mito que dissocia, não é Sagrado,
não apela à Verdade do Universo.
 
 
Sem a força apelativa de um Mito Transcendente,
                            como Razão-de-Ser e Vir-a-Ser,
Portugal vive aquém da sua verdadeira Identidade.
 
 
Para isso vamos fraternamente meditar.
O poder da meditação, vem da sua ligação
à Fonte-da-Vida,ao Uno, à Unidade.
 
Meditar é conectarcom Isso que sustem e Unifica
a multiplicidade das formas, além de toda a divisão.
Isso”, que podemos identificar com a Vida
do nosso Templo interior,
                   
                             Deus, em nós.
 
 
 
                            Vamos meditar ao fim da tarde,
às 5ª feiras, depois das 19 horas.
Meditar, concentrar, chamar a Luz.
 
O Tempo que nos for possível: uns minutos, meia hora,
uma hora …para que Portugal possa finalmente expressar,
a verdadeira dimensão da sua Alma.
Ao meditar, vamos sentir a nossa Alma,
para que a Alma colectiva dos Portugueses
possa emergir do seu recolhimento,
do núcleo interno onde se encontra submersa...
 
Para que o paradigma do novo Tempo
a Consciência de uma nova Era Planetária,
a Era de Aquário, a possa iluminar.
 
 
Aquário é uma Visão evolutiva, Sintética, Holística, integradora das forças do Universo.
Esta Visão situaa Humanidade no dinamismo inteligente
e significativo do seu Vir-a-Ser, da sua Evolução.
 
A vibração da energia de Aquário desperta a intuição
para que a última resposta de cada Ser Humano à Vida,
seja essencialmente colectiva,                                                                 
fundamentalmente inter-dependente,
Planetária.
 
A nova Era será o Tempo de uma nova mentalidade.
Surge como resposta ao impasse materialista,
à grande Ilusão contemporânea do Ocidente,
que emparedou a Alma e a Mente dos Homens.
 
A Solidão é uma “amnésiaCósmica.
Traduz a dor do Ser desintegrado,
esquecido do Todo a que pertence.
Ego-centrado, órgãodoente, rebelde à Vida do organismo,
defende-se da identificação que o pode libertar.
Só o Amor tem poder de emocionalmente se identificar.
                            Só o Amor tem poder-de-unir
                            uma Vida a outra Vida.
Cristo veio há 2000 anos ensinar esta imensa realidade.
Somos “unidades autónomasde Vida consciente, 
num oceano de Vida Maior.
A cada minuto partilhamos energia com o mundo
e com os outros.
 
A “discriminação Separatista,
gerou a ignorância , a dor, o sofrimento
das Sociedades actuais.
Esta “dissociação”, anímica, colectiva e Planetária,
está a chegar ao fim.
Novos ciclos se anunciam.
 
Antigos Mestres Chineses deixaram dito:
“a tensão de dois pólos opostos
tem sempre que chegar ao limite,
para virar no seu contrário.
Este nosso Tempo atingiu o limite da ignorância,
da violência, da loucura, da infelicidade.
 
Hoje em dia a Terra, é realmente, a muitos níveis,
um inferno criado pelos Homens.
Não tem sempre que assim Ser.
No entanto só pode mudar,
quando os Homens se aperceberem
que são eles que criam o seu próprio inferno.
O que implica descerem do seu “pedestal de barro
da sua enganadora arrogância,
da sua limitada percepção.
Assumirem a voz da sua Alma,
renderem-se à Ordem Maior:
 
Ordem Universal, Humanista e Fraterna,  
regida por Leis Eternas.
As Leis que sempre ensinaram os Homens
a trabalhar os medos, a meditar, a abrir o Coração.
 
 
Disse Fernando Pessoa: é a Hora.
A Hora da Verdade,
a Hora da Boa-Vontade,
a Hora do Entendimento,
a Hora do Serviço
 
Para que a Terra, um dia, possa vir-a-ser,
como dizem os Mestres, um “Planeta Jardim
 
Para que o imperioso, último e definitivo
grande Mito,
a possa Inspirar.
 
não estamos num Tempo
de velhos Mitos nacionalistas.
Mitos nascidos de uma Visão prepotente,
activada por um qualquervírus ego-nacionalista
que sempre produziu guerras e Separação.
 
Hoje, o Tempo é de Viragem:
Tempo da criação de um novo Tempo,
de um novo paradigma, de um novo Mito,
capaz de produzir União.
 
União entre todos os Homens,
União entre os Povos, União entre as Nações:
 
é a verdadeira Palavra do Cristo,
ainda não suficientemente interiorizada.
 
“Deus exprime-se a si próprio
através das correctas relações humanas”,
                                                                            Djwal Khul
É o definitivo grande Mito,
que urgentemente pede realização:
o Mito da Fraternidade Planetária,
 
a União das Almas
pela Luz da Consciência
 
Só a Consciência assumida da Fraternidade Planetária pode materializar, dar Forma,
 “fazer acontecer”,
a resposta milagrosa da Humanidade
ao apelo imperioso da Paz-no-Mundo.
 
 
Caminhamos lentamente, de Vida-em-Vida, rumo à Unidade.
É a nossa Humana e humilde condição.
Não nascemos “inteiros”,
não nascemos totalmente Conscientes.
Encarnamos em tensão, com uma Paz relativa,
a Paz que soubemos ou não atingir,
de acordo com o nosso próprio Karma.
 
Por isso a Paz profunda é uma convergência” energética.
A nível interno,
Paz é a irradiação sintética
das múltiplas energias do Ser.
 
Por outras palavras, a Paz interior
é a síntese das nossas energias.
Conquista voluntária, pessoal, pede fidelidade.
Paz é “alta frequência”. Só atingida, pela integração
e harmonização da Luz e da Sombra, em nós.
 
Não haverá Paz no Mundo, enquanto não houver
Paz nos Corações, em todos os Corações…
 “Portugal, nesta charneira evolutiva, deve actualizar-se. Encontrar-se.
Lembrar-se de quem foi.
Saber quem verdadeiramente é:
 
Povo de gente sensível, que já muito rezou.
Gente que nos seus registos emocionais mais remotos,
traz a memória de um antiquíssimo Saber.
Esse, que pacifica os Homens e os situa,
na multidimensionalidade da sua Vida Interior.
Gente portuguesa, capaz de sentir e exprimir o Indizível,
o que não tem forma, mas que habita algures,
nas esferas subtis da nossa mais íntima experiência”
 
                                                    do livro Portugal o Mito e o Destino
      Maria Flávia de Monsaraz
 
 
Nascemos Portugueses, não é por acaso,
é um grande compromisso com o Céu
 
 
 
Assim, vamos todos à 5ª feira meditar,
recolher, Silenciar.
Para que Portugal possa sintonizar a sua nota própria,
             o que lhe cabe Vir-a-Ser.
             E assim levar ao Mundo, o Poder Iniciático
             da sua Palavra inspirada.
 
             Para que a voz da sua Alma um dia seja ouvida,
             no concerto planetário das Nações.
 
Cumprindo o Projecto Crístico que o fez nascer,
             na Harmonia dos ritmos Celestes…
 
Para aprofundamento da relação Silêncio/ Meditação,
algumas Citações:
 
 
“o Silêncio,
estado de quietude onde nada de irreal
pode penetrar”.
 
“da rendição da mente nasce a vibração do Silêncio”,
o despertar da energia intuitiva do Coração”
 
“quando a mente silencia,
estabilizamos o nosso estado essencial:
o Espírito, que nos habita”.
 
no Silêncio
revela-se o Campo unificado
da Consciência”
 
 
O Silêncio activa o Fogo interno”
 
 
 
Vamos, uma vez por semana
Silenciar, meditar.
Que estes momentos semanais possam Unir
cada Português à Luz da sua Alma.
 
Unir cada Português à Luz da sua Alma,
é unir Portugal.
 
 
Para aprofundamento deste Tema,
encontra-se disponível um CD
de Maria Flávia de Monsaraz:
Portugal o Mito e o Destino
Contacte a Salva pelo:
214427302, ou
salva.medtrad@sapo.pt
 
 
Para mais informação sobre este movimento aceda ao site:
http://www.ventosdelys.com/website/index.php?option=content&task=view&id=152
ou
http://www.ventosdelys.com/meditacao_portugal/
publicado por salvamedtrad às 16:27

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. MEDITAÇÃO: Apelo ao despe...

.arquivos

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Gotas de Sabedoria

.as minhas fotos

.Visitantes

.Visitantes no mundo

Locations of visitors to this page
blogs SAPO

.subscrever feeds